TV Anhanguera apurou que equipes foram até as sedes das pastas da Fazenda e do Planejamento para confirmar informações obtidas durante as buscas da quarta-feira (20). A Polícia Federal voltou às ruas de Palmas na tarde desta quinta-feira (21), um dia após o afastamento do governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PSL), por ordem do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo apuração da TV Anhanguera, agentes estiveram nas sedes das secretarias estaduais da Fazenda e do Planejamento.
O objetivo da ação seria confirmar informações que foram obtidas durante o cumprimento dos mandados judiciais nas primeiras fases das duas operações deflagradas na quarta-feira (20). Ainda não foi divulgado o que foi apreendido pelos policiais nesta quinta. A lista completa de servidores afastados dos cargos por causa das investigações ainda não foi divulgada.
Um dos focos da nova etapa de buscas seria obtenção de imagens de câmeras de segurança. A ideia é confirmar encontros que teriam ocorrido entre fornecedores e agentes públicos.
Enquanto o governador permanece afastado do cargo, o comando do Poder Executivo está com Wanderlei Barbosa (Sem partido), vice de Carlesse que atua como governador em exercício. Durante a manhã ele deu uma entrevista coletiva em que disse ter sido pego de surpresa pela operação. Wanderlei afirmou que pretende manter os programas de governo que já estavam em andamento e disse que se considera preparado para assumir a função.
A maior parte do processo contra Mauro Carlesse corre sob sigilo de Justiça. O ministro que determinou o afastamento, Mauro Campbell, leu trechos do relatório do Ministério Público Federal durante a sessão em que o afastamento foi confirmado. O MPF acredita que a organização criminosa supostamente chefiada pelo governador pode ter sido responsável inclusive por armar flagrantes falsos por tráfico de drogas contra desafetos.
A defesa de Mauro Carlesse ainda não se manifestou sobre as acusações e segue afirmando que não teve acesso à denúncia para que possa comentar o caso.
As investigações
O afastamento do governador e cerca de 50 agentes públicos foi determinada monocraticamente pelo ministro Mauro Luiz Campbell e confirmada pela corte do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
Na manhã da quarta-feira (20) a Polícia Federal fez buscas na casa de Carlesse e na sede do governo do Tocantins. Foram apreendidos dois veículos do governador, levados para a sede da PF em Palmas.
Segundo a PF, as buscas desta quarta-feira fizeram parte de duas operações complementares, que investigam:
pagamento de propina relacionada ao plano de saúde dos servidores estaduais;
obstrução de investigações;
incorporação de recursos públicos desviados.
Conforme apuração da TV Anhanguera, a investigação, que teve início há cerca de dois anos, estima que cerca de R$ 44 milhões tenham sido pagos a título de vantagens indevidas. Os valores podem ser maiores, já que a participação de outras empresas no esquema ainda é investigada.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins


Compartilhar:

Deixe seus Comentario